Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Do Sofá ao Ultra

Olá o meu nome é Hugo Sousa, e o meu objectivo é um dia fazer um Ultra Trail de 100km, aqui farei crónicas das provas em que participo, treinos e alimentação. Aqui podes acompanhar esta aventura.

Olá o meu nome é Hugo Sousa, e o meu objectivo é um dia fazer um Ultra Trail de 100km, aqui farei crónicas das provas em que participo, treinos e alimentação. Aqui podes acompanhar esta aventura.

22.Jan.18

Treino no PR15 - Viagem a Pré-História

images.jpg

 

Olá a todos,

 

Mais uma vez prometi que vos traria a crônica do treino deste sábado e cá está ela. Como já sabem este sábado fui fazer um treino maior que o trail medieval e o de Conímbriga. Segundo as estatísticas finais foram 18Km de treino que deu pra tudo, desde trilhos muito técnicos, atravessamos ribeiros, subidas a 4 membros, descidas muito técnicas, e acima de tudo trilhos que passam em lugares que nenhuma foto consegue mostrar a beleza dos sítios onde passávamos. Como já sabem fui treinar com o meu amigo João, saímos cedo de Vale de Cambra em direção a aldeia do Merujal em plena Serra da Freita, (era lá o início do PR15) fomos recebidos com nevoeiro cerrado não dava para ver mais que 5 metros a nossa frente e um frio que chegava aos ossos. Acho que a maioria da malta deve estar a pensar "estes gajos não batem bem da pinha" e se calhar até estão certos, até eu acho isso... mas depois de estar equipado só dá vontade de começar a correr.

Antes de arrancar!

Antes de arrancar

 

Lá fomos em direção a placa inicial para escolhermos o sentido em que iríamos percorrer (sem conhecermos acho que escolhemos o melhor!), arrancamos em direção ao parque de campismo do Merujal e logo aí entramos em trilhos até a aldeia de albergaria da serra, atravessamos a aldeia e seguimos num trilho técnico por cima do rio caima em direção as pedras boroas do Junqueiro (os trilhos foram reconhecidos pelo João que já lá tinha passado no UTSF de 25KM) neste momento íamos apenas com aproximadamente 2,5Km o nevoeiro começou a desaparecer e percebi que aos anos que venho á Freita e acabo sempre surpreendido por ela! É por isto que eu pratico trail! Que trilho lindo! Não há palavras nem foto que mostre a verdadeira beleza!

O Famoso trilho ficava mesmo atrás do João!

O Famoso trilho (sim, é o que está atrás do João)

 

Chegados ao final do trilho entramos num estradão e seguimos assim durante 5/6 Km que nos levou ao ponto mais alto do percurso aos aproximadamente 1040 metros, aqui finalmente o tempo começou a abrir, pelo caminho íamos conversando e uma das coisas que comentamos foi que dificilmente iríamos apanhar um trilho tão lindo como o primeiro!

20180120_102118.jpg

Ponto mais alto do percurso, pouco depois das Pedras Boroas

 

Como nem tudo é um mar de rosas os problemas tinham de aparecer, mas por incrível que pareça não eram físicos eu e o João estávamos bem, o problema foi as marcações do percurso, por causa de um corte de madeira algumas marcações desapareceram, e andamos "as aranhas" alguns minutos, até que me lembrei das palavras sábias que alguém me disse (ainda hoje não me lembro quem) "na dúvida é para subir!" E não é que era mesmo, subimos um monte de pedras e lá estavam as marcações, lá seguimos nós em direção a aldeia de Castanheira! Lembram-se do que eu tinha comentado a cima acerca da beleza dos trilhos? Entramos num trilho em direção a aldeia da castanheira em que perdemos 200 metros verticais em pouco mais de 1Km que descida alucinante, fomos sempre a disfrutar dos trilhos sem nos preocuparmos com as marcações! Tivemos uma sorte.... por acaso fomos sempre na direção correta, lá chegamos a aldeia, que é conhecida pelas famosas "Pedras Parideiras", o caminho que percorremos estava cheio delas! Lá entramos no meio da aldeia, novamente falta de marcação o que nos levou a perguntar a uma senhora se havia algumas marcações ali perto e ela respondeu que havia uma "indiqueta" que dizia Cabaços lá no fundo da aldeia! O que nós nos rimos com a senhora, seguimos a famosa "indiqueta" por um trilho espetacular que também foi usado no UTSF muito técnico em cima de um ribeiro, eis que nos chega outra surpresa, o percurso estava cortado, pois no sítio onde passa estava vedado com vacas a pastar e um SENHOR CÃO que veio atrás de nós uns valentes metros, pois tivemos de contornar a vedação e avançar um muro para entrarmos novamente no percurso. Lembram-se de eu ter dito que tinha aprendido o que era uma subida a 4 membros? Aí estava ela, no gráfico de altimetria nem se destaca muito, mas no espaço de 300 metros ganhamos cerca de 110 metros verticais, façam as vossas contas e imaginem a situação, quase que tocava com o nariz no chão!

Subida 4 membros.jpg

No gráfico nem se destaca muito, o problema foi nas pernas.

 

Quando chegamos ao topo começamos a descida num trilho muito técnico cravado numa escarpa, mais uma vez a Freita a não desiludir, trilho que nos levou a aldeia de Cabaços, atravessamos a aldeia em direção a aldeia da mizarela (pensava eu) onde está a famosa frecha da mizarela! Nesse caminho voltamos a sofrer com a falta de marcação andamos a procura do trilho cerca de 10 minutos, lá o encontrámos novamente, e entretanto chegamos a mizarela e viramos em direção a praia fluvial de albergaria da serra passamos a ponte e saltamos um muro e mais um trilho do UTSF desta vez íamos mesmo em direção a aldeia da mizarela finalmente iria passar na frecha! (Mentira, fiquei triste, no mapa dava a entender que sim).

20180120_100018.jpg

Praia Fluvial de Albergaria da Serra

 

 

Nesta altura estávamos a apenas 2KM do fim e começou a falhar as pernas, pois o tempo começou a arrefecer bastante de um momento para o outro, tomei um gel para ver se conseguia chegar ao fim sem problemas, seguimos por um estradão que nos levaria a estrada principal para a aldeia do Merujal novamente.

O PR15 - Viagem a pré-história é espetacular para a prática do trail, só peca pela falta de marcações em alguns locais.

Em relação as minhas sensações durante o treino, foi um treino fantástico, onde já comecei a notar muitas melhorias, mas falta-me ganhar muita "caixa". Estou aqui hoje a escrever e não me dói um músculo, apenas me dói os pés por estar pisado.

Mapa.jpg

Mapa do percurso

altimetria7.jpg

Altimetria

 

Mal posso esperar pelo próximo treino na Freita!

 

Vamos continuar a treinar pois a próxima prova está aí a porta.

Vou trazendo novidades.

Um abraço

2 comentários

Comentar post