Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Do Sofá ao Ultra

Olá o meu nome é Hugo Sousa, e o meu objectivo é um dia fazer um Ultra Trail de 100km, aqui farei crónicas das provas em que participo, treinos e alimentação. Aqui podes acompanhar esta aventura.

Olá o meu nome é Hugo Sousa, e o meu objectivo é um dia fazer um Ultra Trail de 100km, aqui farei crónicas das provas em que participo, treinos e alimentação. Aqui podes acompanhar esta aventura.

06.Jun.18

NAC TRAIL 2018

FB_IMG_1527545574886.jpg

 

 Olá malta, desta vez a crónica demorou mais um pouco a chegar, mas como o prometido é devido, desta vez estou aqui para vos falar da minha participação nos 24 KM do NAC TRAIL que foi a minha estreia nos trails longos.

Posso vos adiantar que raramente voltarei a participar em trails curtos no futuro.💪

Depois do runcambra, voltei a focar-me a 100% no Trail, continuei no ginásio a fazer reforços musculares e em dieta para perder peso com vista a melhorar o meu rendimento, fui fazendo alguns treinos HIIT durante a semana, e ao fim-de-semana fazia sempre treinos de trail mais longos, mas nunca passando dos 15Km por treino. As sensações nos treinos foram sempre boas, o ganho de força muscular aliada a perda de peso refletiu-se no meu rendimento. 

A minha participação neste trail deve-se sobretudo a sua proximidade geográfica de Vale de Cambra e sobretudo a distância apresentada e a data, embora nenhum trail seja igual a outro quis experimentar a distância de 24 KM para perceber como estaria a correr a minha preparação pois ainda estavamos a 1 mês do UTSF e dava tempo para alterar o treino. 

Chegou-se a dia 27 de Maio e mais uma vez encontrei-me com o Paulo para ir-mos até Cucujães em Oliveira de Azeméis, para participar-mos no NAC TRAIL, ambos nos 24KM. Os dorsais já tinham sido levantados no dia anterior, por isso foi só chegar equipar e as 8H30 estar a fazer o controlo 0 para entrar na caixa de partida, as 9H00 contagem decrescente e siga para os 24KM, que passavam por várias freguesias do Concelho de Oliveira de Azeméis. O primeiro km todo em estrada deu para começar a dispersar o pelotão inicial, pois logo de seguida entramos num carrossel de single track's que aos poucos e poucos me desgastavam as pernas, pois tamanho era o sobe e desce. 

FB_IMG_1527459420547.jpg

 Arranque da Prova

Depois dos primeiros 3 KM chegamos a Bustelo, onde descemos um single track com uma inclinação incrível, seguímos em direção á freguesia de Pindelo, onde pelo caminho apanhei uma subida longa e com alguma inclinação.

 

Chegados a Pindelo estaria uma das jóias da coroa da prova, um trilho junto ao rio antuã, em que a subida e a descida eram constantes, este trilho tinha tanto de bonito como de técnico, neste troço faríamos a primeira travessia de muitas travessias de levadas e rios.

FB_IMG_1527459847784.jpg

 O primeiro contacto com o rio

 

N final deste fantástico trilho já teríamos cerca de 10 KM feitos, onde foi tempo para o primeiro abastecimento, com muita variedade, daí parti novamente com o Paulo e com mais 2 conterrâneos meus do Ginásio Fit 4 Fun, juntos enfrentamos a travessia do rio e  uma das subidas mais mediáticas do Trail, a Rolling Stones, que era isso mesmo pedra solta que rolava de baixo dos nossos pés a cada passo que dávamos. Esta subida levava-nos pela primeira vez perto do Alto da Senhora da Graça.

33729335_2129807640597846_5243751886951022592_n.jp

Rolling Stones (Créditos Tó-zé Pinheiro)

 Chegados ao final da subida, encontramos um rapaz da organização que fazia o controlo da passagem dos atletas, e nos mandava descer a "Descida da Graça", que desci e desci e voltei a descer e ela nunca mais acabava, muito técnica e com uma inclinação brutal, chegado ao fundo dessa descida, percorri um estradão até chegar ao último ataque ( e que ataque) ao Alto da Senhora da Graça, a "Rampa da Graça" que sova que levei rampa a cima, tanto fisíca como mental, deu cabo de mim, quando pensei que estva no final da subida eis que aparece outra quase igual, mas com todo o meu esforço e apoio do Paulo lá cheguei ao final, só nos faltava mais uns 200 metros até as antenas, e lá seguímos, eis que por surpresa apareceu-me o meu grande amigo e companheiro de treinos Fábio que me tirou algumas fotos na passagem pelas antenas. 

received_1939544459453948.jpeg

 Chegada as Antenas (Foto do Fábio)

Depois das antenas, desci por um single track rápido e técnico que nos levou para o meio de uma aldeia, onde os habitantes tinham música a tocar para animar a nossa passagem, a partir daqui seguimos por estrada cerca de 1,5 KM até a entrada do novo trilho que implicaria atravessar novamente o rio várias vezes, até ao "trilho da floresta negra", mas não sem antes passar pela ponte romana. Este trilho, era feito maioritariamente a subir (e de que maneira) numa zona de floresta serrada, um trilho fantástico e lindíssimo, que nos levaria ao último abastecimento.

Foi no arranque deste abastecimento que começaram a surgir os problemas, já seguíamos com 18KM, as sapatilhas começaram a deixar de fazer o seu trabalho e as pernas começavam a doer e a dar sinais de desgaste sério. O cansaço era muito e comecei a caminhar mas do que devia, fui obrigado a parar pois as sapatilhas cada vez me incomodavam mais. O pensamento de desistir começou a passar pela cabeça, se não tivesse o Paulo a acompanhar-me acho que a minha prova tinha ficado por ali. 

Tomei um gel e arranquei novamente, as dores nas pernas iam passando, mas o incómodo nos pés era enorme a partir daqui só a força mental contava, a subida estaria praticamente toda feita, pouco faltava para o D+ anunciado, fomos sempre a um ritmo mais baixo até a passagem de uma nova linha de água, dentro de um túnel que nos levava ao trilho de ligação ao parque onde tinha sido o arranque da prova, dentro do túnel a água chegava a cinta, soube mesmo bem para refrescar as minha pernas.

Ao entrar no parque, que sensação maravilhosa, já se ouvia o speaker chegamos ao final 3H56 minutos depois de arrancar, o objetivo de chegar ao fim estava cumprido e o de acabar em menos de 4H também.

Agora chegou o tempo para agradecer ao Paulo por me ter acompanhado durante todo o percurso, sem ele, muito provavelmente teria desistido a 5KM do fim e ao Fábio pela presença na Sra. da Graça e pelas fotos e ao fotógrafos, que tiraram fotos durante a prova, e a quem dou os créditos das fotos que tenho aqui.

Por fim parabéns a organização, pelo esforço que tiveram a abrir os trilhos, pela quantidade de pessoas que tinham a trabalhar convosco, a segurança do atleta sempre em primeiro lugar, pois tinham bombeiros nas partes mais perigosas.

Se o grau de dureza da prova se mantiver, para o ano podem contar novamente comigo!

Screenshot_1.png

 Percurso

Screenshot_2.png

 Altimetria