Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Do Sofá ao Ultra

Olá o meu nome é Hugo Sousa, e o meu objectivo é um dia fazer um Ultra Trail de 100km, aqui farei crónicas das provas em que participo, treinos e alimentação. Aqui podes acompanhar esta aventura.

Olá o meu nome é Hugo Sousa, e o meu objectivo é um dia fazer um Ultra Trail de 100km, aqui farei crónicas das provas em que participo, treinos e alimentação. Aqui podes acompanhar esta aventura.

22.Jan.18

Treino no PR15 - Viagem a Pré-História

images.jpg

 

Olá a todos,

 

Mais uma vez prometi que vos traria a crônica do treino deste sábado e cá está ela. Como já sabem este sábado fui fazer um treino maior que o trail medieval e o de Conímbriga. Segundo as estatísticas finais foram 18Km de treino que deu pra tudo, desde trilhos muito técnicos, atravessamos ribeiros, subidas a 4 membros, descidas muito técnicas, e acima de tudo trilhos que passam em lugares que nenhuma foto consegue mostrar a beleza dos sítios onde passávamos. Como já sabem fui treinar com o meu amigo João, saímos cedo de Vale de Cambra em direção a aldeia do Merujal em plena Serra da Freita, (era lá o início do PR15) fomos recebidos com nevoeiro cerrado não dava para ver mais que 5 metros a nossa frente e um frio que chegava aos ossos. Acho que a maioria da malta deve estar a pensar "estes gajos não batem bem da pinha" e se calhar até estão certos, até eu acho isso... mas depois de estar equipado só dá vontade de começar a correr.

Antes de arrancar!

Antes de arrancar

 

Lá fomos em direção a placa inicial para escolhermos o sentido em que iríamos percorrer (sem conhecermos acho que escolhemos o melhor!), arrancamos em direção ao parque de campismo do Merujal e logo aí entramos em trilhos até a aldeia de albergaria da serra, atravessamos a aldeia e seguimos num trilho técnico por cima do rio caima em direção as pedras boroas do Junqueiro (os trilhos foram reconhecidos pelo João que já lá tinha passado no UTSF de 25KM) neste momento íamos apenas com aproximadamente 2,5Km o nevoeiro começou a desaparecer e percebi que aos anos que venho á Freita e acabo sempre surpreendido por ela! É por isto que eu pratico trail! Que trilho lindo! Não há palavras nem foto que mostre a verdadeira beleza!

O Famoso trilho ficava mesmo atrás do João!

O Famoso trilho (sim, é o que está atrás do João)

 

Chegados ao final do trilho entramos num estradão e seguimos assim durante 5/6 Km que nos levou ao ponto mais alto do percurso aos aproximadamente 1040 metros, aqui finalmente o tempo começou a abrir, pelo caminho íamos conversando e uma das coisas que comentamos foi que dificilmente iríamos apanhar um trilho tão lindo como o primeiro!

20180120_102118.jpg

Ponto mais alto do percurso, pouco depois das Pedras Boroas

 

Como nem tudo é um mar de rosas os problemas tinham de aparecer, mas por incrível que pareça não eram físicos eu e o João estávamos bem, o problema foi as marcações do percurso, por causa de um corte de madeira algumas marcações desapareceram, e andamos "as aranhas" alguns minutos, até que me lembrei das palavras sábias que alguém me disse (ainda hoje não me lembro quem) "na dúvida é para subir!" E não é que era mesmo, subimos um monte de pedras e lá estavam as marcações, lá seguimos nós em direção a aldeia de Castanheira! Lembram-se do que eu tinha comentado a cima acerca da beleza dos trilhos? Entramos num trilho em direção a aldeia da castanheira em que perdemos 200 metros verticais em pouco mais de 1Km que descida alucinante, fomos sempre a disfrutar dos trilhos sem nos preocuparmos com as marcações! Tivemos uma sorte.... por acaso fomos sempre na direção correta, lá chegamos a aldeia, que é conhecida pelas famosas "Pedras Parideiras", o caminho que percorremos estava cheio delas! Lá entramos no meio da aldeia, novamente falta de marcação o que nos levou a perguntar a uma senhora se havia algumas marcações ali perto e ela respondeu que havia uma "indiqueta" que dizia Cabaços lá no fundo da aldeia! O que nós nos rimos com a senhora, seguimos a famosa "indiqueta" por um trilho espetacular que também foi usado no UTSF muito técnico em cima de um ribeiro, eis que nos chega outra surpresa, o percurso estava cortado, pois no sítio onde passa estava vedado com vacas a pastar e um SENHOR CÃO que veio atrás de nós uns valentes metros, pois tivemos de contornar a vedação e avançar um muro para entrarmos novamente no percurso. Lembram-se de eu ter dito que tinha aprendido o que era uma subida a 4 membros? Aí estava ela, no gráfico de altimetria nem se destaca muito, mas no espaço de 300 metros ganhamos cerca de 110 metros verticais, façam as vossas contas e imaginem a situação, quase que tocava com o nariz no chão!

Subida 4 membros.jpg

No gráfico nem se destaca muito, o problema foi nas pernas.

 

Quando chegamos ao topo começamos a descida num trilho muito técnico cravado numa escarpa, mais uma vez a Freita a não desiludir, trilho que nos levou a aldeia de Cabaços, atravessamos a aldeia em direção a aldeia da mizarela (pensava eu) onde está a famosa frecha da mizarela! Nesse caminho voltamos a sofrer com a falta de marcação andamos a procura do trilho cerca de 10 minutos, lá o encontrámos novamente, e entretanto chegamos a mizarela e viramos em direção a praia fluvial de albergaria da serra passamos a ponte e saltamos um muro e mais um trilho do UTSF desta vez íamos mesmo em direção a aldeia da mizarela finalmente iria passar na frecha! (Mentira, fiquei triste, no mapa dava a entender que sim).

20180120_100018.jpg

Praia Fluvial de Albergaria da Serra

 

 

Nesta altura estávamos a apenas 2KM do fim e começou a falhar as pernas, pois o tempo começou a arrefecer bastante de um momento para o outro, tomei um gel para ver se conseguia chegar ao fim sem problemas, seguimos por um estradão que nos levaria a estrada principal para a aldeia do Merujal novamente.

O PR15 - Viagem a pré-história é espetacular para a prática do trail, só peca pela falta de marcações em alguns locais.

Em relação as minhas sensações durante o treino, foi um treino fantástico, onde já comecei a notar muitas melhorias, mas falta-me ganhar muita "caixa". Estou aqui hoje a escrever e não me dói um músculo, apenas me dói os pés por estar pisado.

Mapa.jpg

Mapa do percurso

altimetria7.jpg

Altimetria

 

Mal posso esperar pelo próximo treino na Freita!

 

Vamos continuar a treinar pois a próxima prova está aí a porta.

Vou trazendo novidades.

Um abraço

17.Jan.18

Ainda agora saí de uma e já me meti noutra! - Trail de Conímbriga Terras de Sicó é o próximo.

Olá a todos,

Já pensavam que eu tinha desistido? Naaaa, ainda há muitos Km's para correr por esses trilhos fora.

Estas duas semanas (a que passou e esta) estão a ser de recuperação em que apenas tenho feito trabalho de ginásio, pensei que a recuperação do primeiro Trail fosse mais difícil, mas fiquei surpreendido até que correu bem, algumas dores musculares que nos primeiros 2 dias me meteram a caminhar como se tivesse sido atropelado por um comboio!

Pronto, como podem ver também mudaram algumas coisas tanto no blog como nas redes sociais, agora teêm um toque mais profisional dado pela minha fantástica amiga Ana Vieira  quem precisar de uns trabalhos na área do design está bem entregue.

Agora falemos do título deste post, como o próprio diz ainda mal tinha saído do primeiro trail e já me tinha metido noutro, o próximo será o Trail de Conímbriga Terras de Sicó no próximo dia 25 de Fevereiro, após aconselhamento com o João, a quem lhe agradeço o apoio que me tem dado.

Neste trail continuarei nos 15Km, pois ainda é muito cedo para arriscar mais que isso, parece-me bem continuar nestas distâncias por enquanto.

Mapa dos 15K

Pelo que o João me disse e pelas imagens que vi de edições anteriores parece-me ser um trail com paisagens e trilhos fantásticos. Para mim este trail tem uma coisa de especial pois será a primeira vez que visitarei Conímbriga ( e que primeira vez!!).

altimetria_total15k.jpg

 

Agora falando do percurso, pelo gráfico de altimetria disponibilizado pela organização dá para perceber que a partir dos 4,2Km aproximadamente vão começar os problemas sérios nesta prova pois vamos no espaço de 1,8Km "ganhar" quase 200 D+ (isto para o pessoal que anda nisto há muito tempo até se ri de mim), logo de seguida perdemos alguma altitude e seguimos praticamente na mesma cota durante pouco mais de 1Km, eis que chega a ultima súbida que nos levará ao ponto mais alto da prova e de seguida por uma descida que em 2Km perdemos aproximadamente 200D-, a maioria da subida será feita nos primeiros 8Km depois de aí chegar acho que será mais para gerir o esforço até ao final da prova.

Prevê-se uma prova bastante diferente do Ultra Trail Medieval (podem ler aqui a crónica, agora atualizada com fotos), a preparação vai começar este sábado, em que irei a minha querida vizinha Serra da Freita fazer um treino com o João (se a coisa correr bem até pode ser que faça um post sobre isso).

E pronto está dada a boa-nova.

Não deixem de me seguir nas redes sociais para acompanharem esta aventura!

 

Um Abraço

 

 

 

10.Jan.18

Ultra Trail Medieval - O Primeiro

 Olá a todos, como o prometido é devido cá está a crónica sobre o primeiro trail que participei (com um pequeno Bónus no final).

Como sabem no passado Domingo dia 7 de Janeiro, foi o dia do Ultra Trail Medieval em Santa Maria da Feira, a minha participação foi mais com o intuíto de perceber como funcionam as provas de trail para ter uma base para os meus treinos, mas a prova surpreendeu-me muito pela positiva e elevou bastante a fasquia para as próximas provas em que participarei. Mas como nem tudo é um mar de rosas mais a frente vou expôr algumas coisas menos boas que achei em relação a logística do evento.

A preparação para este Trail começou 1 mês antes mas com muito pouca intensidade, pois tive um contratempo pessoal que não me premitia treinar com a frequência que desejava, contudo não baixei os braços e continuei a acreditar intensificando os treinos na ultima semana do ano até ao penúltimo dia antes da prova. Na Sexta-Feira na viagem de regresso a casa passei no secretariado da prova para levantar o dorsal, era o número 2344. 

No Sábado durante o pouco tempo livre que tive fui preparando o material para levar no Domingo, meti o chip nas sapatilhas, preparei a roupa e os suplementos, neste momento estava tudo pronto.

No Domingo de manhã acordei por volta das 07:45, tomei o pequeno almoço peguei nas minhas tralhas e siga para Santa Maria da Feira, saí de casa por volta das 08:30.

Cheguei a SMF uma hora antes do início da prova, fui dar uma volta pela "Zona Medieval" onde era o arranque e a chegada, estava um frio de rachar estavam 2ºc tudo branco, o unico sitio quente eram umas fogueiras que tinham em frente a meta e onde estava praticamente toda a gente. Voltei para o carro para me equipar, era tanta tralha e estava tanto frio (e além disso o carro estava muito longe) que quando acabei faltava apenas 15 minutos para a prova.

Fui me chegando para a zona de arranque fiquei mais ou menos a meio do pelotão (um erro grande), chegou a hora meti os phones nos ouvidos, o relógio a contar e lá se ouviu o tiro do canhão que marcava o início dos 15KM, saí no meio da confusão, para os 1,5km iniciais que eram só estrada e marcavam uma primeira súbida ao castelo, mal chegamos ao cimo, entramos logo no primeiro single track, uma descida escorregadia mas espetacular, pena ainda sermos demais naquela altura da prova o que me obrigou a caminhar e a esperar. Passamos novamente na "Zona Medieval" desta vez ja viramos em direção aos trilhos que nos esperavam, mas mais uma vez quando chegamos aos single track, muita confusão para entrar e conseguir correr nos trilhos, quase 2km que tive de seguir em passo lento até aparecer estradões em que poderia ultrapassar os atletas mais lentos, e que permitiu que o pelotão ficasse mais disperso sendo mais fácil percorrer os trilhos.

No arranque da prova (De Azul)

Fui os primeiros KM a gerir a água que tinha, para reabastecer no primeiro abastecimento que seria um abastecimento líquido apenas, já quase sem água avisto uma placa que dizia "Tasca a 500m" , como já tinha 6KM nas pernas e a preparação física não era a melhor, aquele avistamento deu-me força para lá chegar, passou-se 500m, 1km e nada..... perguntava aos atletas que seguiam comigo se tinham visto o abastecimento, ninguém tinha visto, naquele momento fiquei com uma sensação de desconsolo, peguei num gel e na pouca água que me restava e "bota-abaixo"  siga faltam 4 Km para o próximo abastecimento e aí vai dar para comer, beber e descansar as pernas um bocado, neste momento levava mais ou menos 55 minutos de prova.

Continuei pelos trilhos incríveis que a organização escolheu para nos presentear, depois de umas descidas muito técnicas e cheias de adrenalina, e estradas que nos levavam por meio de aldeias em que os habitantes estavam a nossa espera e a dar força aos atletas que passavam. Finalmente lá chegou o tão desejado abastecimento, aproveitei para encher os meus bidons com isostar e comer marmelada, laranja e como não podia deixar de ser um bocadinho de fogaça, nisto devo ter perdido uns 7 minutos, porque devido ao que se tinha passado no primeiro abastecimento, a malta aproveitou este para tirar a barriga de misérias, arranquei novamente para os trilhos.

1ª Passagem no Castelo ( aproximadamente 2KM de prova)

 Aqui era o ultimo terço da prova e que ultimo terço, demorei quase tanto tempo a fazer este último como os primeiros, tinha passado no ponto de controlo que foi pouco antes do abastecimento com 1:24:01 de prova. A saída da quinta onde estava o abastecimento tinha de saltar um muro e mais uma vez como se tinha juntado bastante malta no reforço o mesmo problema do ínicio muita gente nos trilhos o que fazia com que a passagem fosse lenta em qualquer dos obstáculos que se avizinhassem. Atravessamos um rio numa zona que tinha uma levada de água, muito escorregadio que causou alguns contratempos a alguns atletas, que não traziam calçado apropriado, segui-se mais uma serie de trilhos e novamente uma travessia do mesmo rio, mas desta vez com uma ponte improvisada, não deu para molhar os pés como a primeira, mas ainda assim houveram corajosos que o fizeram. Posto isto avançamos por trilhos muito elameados mas muito bonitos, pena que o percurso da caminhada convergia com o do Trail Curto, causando assim muito transtorno na passagem desses trilhos, pois muita gente não trazia calçado adequado para o terreno, atrasando assim a passagem da malta do trail. 

O pior ainda estava para vir, as 2 últimas subidas prometiam, e eu já ia com as pernas a "picar" mas lá comecei a subir a primeira mais longa com menos percentagem de desnível, que logo de seguida nos levava por uma descida por um single track técnico e por fim a chegada a estrada que ficava nas traseiras do castelo, lá ao fundo já se ouvia o speaker na meta, uma injeção de energia por saber que faltava pouco mais de 1KM para a meta, eis que chega a ultima súbida, curta mas muito acentuada, chegamos ao cimo e uma descida igual muito curta mas acentuada que nos levava a outra subida que deveria ter uns 30 metros de comprimento com algum desnivel mas nada que se compare a primeira. Ao chegar ao cimo segui pelas traseiras de uma casa, desci uma escadaria em pedra que já fazia parte do castelo, sempre acompanhado da voz do speaker que cada vez esteva mais próxima, por fim o castelo entrei por uma porta pequena (a malta daquela altura era toda pequenina) e andei pelos tuneis que levavam a praça central do castelo e posteriormente a saída do mesmo, aqui entravamos no single track, que fazia parte do percurso no início da etapa e que nos levava até a meta, agora muito mais descongestionado do que na primeira vez que la passei, embora houvesse muita gente que já tinha acabado a prova a dizer para ir com cuidado pois estava escorregadio eu acho que nunca corri tanto para a meta como naquele momento, atravessei a ponte logo de seguida o pórtico da meta e já está, acabou a primeira prova 2:22:18 tempo oficial do chip.

Como tinha dito no Facebook no Domingo foi uma montanha-russa de emoções tanto estava com a "pica" toda como  ia psicológicamente a baixo (principalmente com a situação do primeiro abastecimento), mas mantive sempre a convicção de chegar ao fim da prova, e consegui e estou muito feliz por isso.

Último KM de prova

 Em relação a prova tenho a dizer que os trilhos escolhidos foram do melhor, single track's bonitos descidas com muita adernalina e muito técnicas e paisagens deslumbrantes para qualquer amante de desportos de natureza.

Pena que logisticamente as coisas não correram assim tão bem, a situação do primeiro abastecimento que só mais tarde quando vi uma publicação de um atleta que avisou dessa situação no evento do facebook, e após resposta da organização a dizer que realmente existiam as torneiras mas que os voluntários não avisaram que elas lá estavam é que fui rever com atenção os videos que fiz com a minha câmara e realmente estavam lá, pena os voluntários não terem avisado fiz 5 KM de prova sem uma gota de água. Além disso não encontrei nenhuma equipa de socorro ao longo do percurso o que é bastante perigoso, e também acho que deveria haver voluntários a ajudar nas descidas mais técnicas as pessoas com menos experiência, a última coisa que acho que não esteve bem foi a situação do percurso da caminhada ser o mesmo que o do trail curto, pois na parte final custou alguns minutos não só a mim mas a muitos outros atletas. Mas nem tudo foi mau neste capítulo, o 2º abastecimento estava muito bem recheado e as pessoas que estavam a repôr eram bastante simpáticas e antenciosas. A nível de marcação do percurso e voluntários a orientar os atletas, a organização esteve irrepreênsivel, muito dificilmente nos perdia-mos durante a prova. E claro não posso esquecer os figurantes, durante o percurso fomos presenteados com a sua presença, davam uma animação extra a todos os atletas.

Em suma foi uma prova incrível, tudo somado temos a fasquia bem alta para o resto das provas do ano, podem contar comigo na próxima edição mas desta vez que seja no Trail Longo.

 

Aqui fica um pequeno video de resumo da minha prova.

 

 

05.Jan.18

O ínicio

Olá a todos,

Hoje marca o ínicio de uma grande aventura à qual me propus a cerca de um mês e que vou explicar mais a frente.

Agora vou fazer uma pequena apresentação, o meu nome é Hugo Sousa e sou um amante da natureza e do desporto, tenho 23 anos e sou residente em Vale de Cambra, Aveiro. Para quem não conhece é a cidade que acolhe o Freita Skyrunning.

Como no passado pratiquei basquetebol e natação o "bichinho" do desporto ficou sempre em mim, mas como a vida muda e vão aparecendo novos desafios (como a ida para a universidade e outros projetos) a prática deportiva passou para um plano longínquo, passando a ser apenas umas "peladinhas" de vez enquando com os amigos(daí o nome "Do Sofá ao Ultra").

Com tudo isto começaram também a aparecer maus hábitos desde saídas a noite bem regadas ás famosas "tainadas" em que se comia tudo o que fazia engordar e ao mesmo tempo prejudicava a saúde.

Até um dia em que reparei que estava a ficar bastante pesado, atingindo assim os 105kg, com apenas 1,80m, decidi então que a minha vida tinha de mudar, comecei a perder muitos desses hábitos, descendo assim para os 90 kg em apenas 3 meses. Mas como a vida é feita de altos e baixos tive de tomar novas decisões, essas decisões fizeram com que eu voltasse a "ganhar" 10kg vontando assim aos 100kg. 

E é nesta altura que tudo começa, anos antes tinha praticado running (cheguei a fazer 3 São Silvestre Aveiro, Feira e Ovar), mas só o running...... não me convencia, eis que se fez luz na minha cabeça e me lembrei do Trail Running, pois Vale de Cambra é muito propicía a prática de desportos de montanha dada a sua geografia. Comecei por correr 6K numa zona de mato perto de minha casa, as sensações durante e após essa primeira experiência foram qualquer coisa de espétacular, mal tinha a noção que me tinha acabado de apaixonar pelo Trail Running.

Após vários treinos dentro da mesma distância decidi um dia exprimentar fazer um treino mais parecido com uma prova de trail, pedi conselhos a vários praticantes meus conhecidos  sobre que precursos exprimentar, decidi que seria o PR5VLC - Aldeias do Arestal, um percurso incrível, com cerca de 15K e 400D+ com um tempo de 2H10. 

Após este treino decidi que seria hora de me propôr a um verdadeiro desafio, após uma pesquisa de provas na zona decidi que seria o Ultra Trail Medieval em Santa Maria da Feira na distância de 15K que será este Domingo dia 8 de Janeiro.

Desde esse dia que me tenho preparado física e psicologicamente para este desafio, inscrevi-me num ginásio, e desde então tenho preparado esta prova com muito afinco.

Depois de esta explicação, vou agora passar a explicação do que será a aventura, o meu objetivo (ainda sem data marcada) é participar num Ultra de +/-100K. 

Criei este blog para a partilha de expriências de treino, provas e alimentação e a cima de tudo para ser aconselhado por todos vós.

A próxima crónica será publicada na próxima semana e será sobre a minha primeira experiência numa prova de Trail.

 

Um Abraço

 

 

 

logo.png